22 abril 2014

MUITO BOA MESMO...PARABÉNS!!!

 
21 de abril de 2014 18:17
Carta ao Galado

Macau, pelos 21 dias de abril de 2014, época em que nossa cidade comemora também, doravante, uma nova cara na nossa cidade...


Benito, não creio que esconderias o riso, e chorarias um choro quase sem lágrimas ao saber que tua amada está aos trapos, uma esmoler, embora maquiada com cal virgem feito casa de taipa...

Sim, somos covardes! Omissos! Fracos! Tens razão: merecemos o carão, o batido. Covardes, omissos e fracos. Não vemos um grito de revolta face ao abandono que se cria nos palácios e se entranha na consciência ora venal, ora covarde de muitos homens e mulheres, habitantes que aqui ficaram neste porto...

Sem aquele riso que incomodava aos mentirosos, que enchia o ar com o teu cheiro esfumaçado do cigarro mais barato e da cerveja quente, sem a certeza de que não o teríamos, não valeria a pena contar as novidades que temos por estas bandas...Mesmo que o batido nos deixe com o rabo entre as pernas...


Sabe a filarmônica que tanto amavas, e que, como dizia nosso irascível Castro, também te amava? Ela está aqui, no momento em traço estas linhas. Pois os gênios, meninos e meninas que a compõe, artistas que são, continuam tendo como recompensa pela sua arte um salário de miséria...


E os nossos artistas? Calam diante da falta de perspectiva, ou na esperança de uma ajudinha nas quatro festas do ano; quem deveria ser o farol, é a vergonha...
 

Sabe o vereador da peroba? Pois se prepare para cair de rir da cadeira. O nobre edil disse que a cadeira de prefeito da nossa cidade não cabe duas bundas...Não me pergunte por que agora...Noutra ocasião te escrevo...
 

Penúria...Num tema tão caro a todos nós, para alguns, a moda agora é o bebê nascer na capital do estado; é mais chic; o padre vai benzer o rebento in loco; e os blogs da cidade sentem ciúmes por não poder fazer a fotografia exclusiva...enquanto isso nossas futuras gerações de legítimos macauenses correm o tenebroso risco de faltar o serviço básico na nossa abandonada Maternidade José Varela!
 

E as tuas professoras, Galado? Pois fique sabendo que o alcaide mandou aprovar um edito, obrigando os edis a votarem sem ler, dizendo doravante haverá o controle de natalidade no seio do magistério da rede pública do município de Macau: se engravidarem, e depois do parto, quiserem, como manda a lei, gozar a licença maternidade, perderão quase metade do vencimento.

Este é um só um pedaço do compromisso com o futuro da tua terra; professoras cheias de sonhos e de vida, sendo controladas e desvalorizadas por um sujeito aqui tão bem acolhido... Em tempo: as três mulheres-vereadoras não disseram um pio em favor das mulheres-professoras...

 Doravante, neste mesmo mês de abril em que nascestes, temos mais um motivo a lhe causar vergonha e revolta: uma Máscara Negra se abateu sobre nós, rapinando palco, luz, som e as vozes das nossas festas (você sabia, Galado, que até aquela festa que você vez ou outra ia, quando na ocasião rememorava os seus tempos de menino, a mais católica das nossas festas, começa a pairar os tentáculos da Máscara Negra?)...


 Não é triste, Imperador? Os teus antigos e leais súditos já não mais te devem lealdade, é verdade, mas hoje, certamente, seriam levados todos ao calabouço. Fingem não mais saber da existência da ilha; e somente se lembram, saudosos, dos velhos carnavais... 


 E como hoje as lágrimas são mais e mais salgadas por causa da tua ausência, esforçamo-nos para não deixar tua memória se esvair como se esvai na quarta-feira de cinzas as nossas ilusões neste barco desgovernado...


Receba um abraço dos que aqui estão e que te guardam como amuleto, na memória.

18 abril 2014

O QUE É ISSO MACAUENSES!!!

Transparência Macau
 
quinta-feira, 17 de abril de 2014

PREFEITURA DE MACAU MUDA NOME DE BANDA PRA TIRAR FOCO DO SUPERFATURAMENTO

Berg & Santos e banda, a mesma Panka de Bakana
O comércio de contratações de bandas e shows durante os últimos carnavais de Macau vem se tornando um labirinto pra os organizadores e empresários de bandas, na verdade o que se tem visto nos últimos tempos em Macau principalmente, é uma maneira de escoarem o dinheiro publico. O que já se tem de denuncias de superfaturamentos é de perder as contas, mas esse "mágico que realizam o carnaval de Macau" encontraram uma maneira que o MP precisa saber, até porque perderam a vergonha de levarem vantagem com o dinheiro publico. O carnaval de 2014 aqui em Macau, a prefeitura através da secretaria de turismo contratou um show por nome de Berg Santos e Banda por 15 mil reais, até ai tudo bem, só que descobrimos que essa banda nunca tocou com esse nome, e sim por "PANKA DE BAKANA", isso pra desviar o foco de mais um superfaturamento, pra mais uma surpresa, a banda Panka de Bakana tocou o mesmo carnaval de 2014 em Rio do Fogo por pouco mais de 3 mil reais. E agora? quem responderá por essa disparidade de valores e?, e gostaríamos de saber também, quem teve essa brilhante ideia de mudar o nome da banda pra desviar o foco de mais um indicio de superfaturamento.

Berg & Santos em Macau por 15 mil reais.

Panka de Bakana em Rio do Fogo por R$:3.500,00

06 abril 2014

ACORDA MACAU !!!

Manoel Nazareno: MANIFESTO CONTRA A CORRUPÇÃO
09 de Abril de 2014 – Dia Nacional Contra a Corrupção
Data: 9 de abril de 2014
Local: em frente a Câmara de Vereadores/Macau-RN
Hora: 15 horas

Os signatários, integrantes das entidades de classe e sociedade civil, reunidos em designo comum, vêm manifestar seu repúdio e indignação contra a CORRUPÇÃO que assola a administração pública do Município de Macau, prejudicando toda a população que sofre com a falta de saúde, educação, habitação, serviços sociais, segurança, etc, razão porque exigimos das instituições fiscalizadoras, Ministério Público, Tribunais de Contas e do Poder Judiciário, ações efetivas e urgentes de combate à essa mazela social, para estancar essa “sangria” de dinheiro público que é notória, com ênfase para as seguintes condutas lesivas:
1) SUPERFATURAMENTO DE BANDAS E ESTRUTURAS DE FESTAS;
2) SUPERFATURAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS;
3) LICITAÇÕES FRAUDULENTAS;
4) DESVIO DE VERBA DO FUNDO DE SEGURIDADE SOCIAL (FSS) DO MUNICÍPIO;
5) APROPRIAÇÃO INDÉBITA DAS CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS (INSS);
6) DESVIO DE BENS E RECURSOS FEDERAIS: MÁQUINAS DO PAC, BOLSA FAMÍLIA, IRPF, PSF, CREAS, CRAS, PET, NAM, ETC.
7) DESVIO DE RECURSOS ESTADUAIS: FUNDEB, CONVÊNIOS, ETC.
8) FUNCIONÁRIOS “FANTASMAS”;
9) NEPOTISMO DIRETO E CRUZADO;
10) CONTRATAÇÃO IRREGULAR DE BENS E SERVIÇOS: VEÍCULOS, IMÓVEIS, EMPREITEIRAS, RESTAURANTES, SEGURANÇA PRIVADA, ETC.
11) CONTRATAÇÃO IRREGULAR DE SERVIDORES;
12) CRIMES AMBIENTAIS (LIXO, DEJETOS, PIÇARRA);
13) FALTA DE TRANSPARÊNCIA; ETC.

24 março 2014

INTERESSANTE !!!


SORRABADORES
 
A confusão foi das grandes na casa de Palito, depois de não sei quantas grades de cerveja. E começou quando o chefe de uma das famílias ali presente, Mario Neto, perguntou a Hipólito se ele não tinha vontade de abrir um comerciozinho...
 
O senhor me ajuda, perguntou Hipólito. Se o senhor me ajudar... Posso lhe ajudar, mas você tem que me ajudar também. Você vai dizer em todo canto que eu lhe ajudei, e tem que andar, nos dias de muito sol, com um guarda-sol daqueles grandes... Hipólito concordou, e perguntou quando Mario Neto acertava tudo. Depois do carnaval...
 
Elesbão, amigo de Hipólito, quando viu o amigo de papo com Mario Neto, se aproximou, mas só ouviu a parte do guarda-sol. Elesbão nem fez tanta força pra saber do amigo a história do guarda-sol, depois de tanta cerveja e cachaça, distribuída, como se dizia, à bambão...
 
E o olho de Elesbão cresceu, e ele não perdeu tempo. E tanto azogou Mario Neto que este resolveu atender Elesbão do mesmo jeito; e colocou a mesma condição, mudando apenas a última parte da promessa: Elesbão tinha que andar, quando o tempo se preparasse, com um guarda-chuva.
 
O leitor já está com um farnizim querendo saber sobre a tal confusão. A ela, a confusão.
Mario Neto chamou Elesbão e Hipólito num canto e disse que queria saber o que eles iam comerciar. Enquanto conversavam, os três posaram para uns meninos, que atendem pelo nome de blogueiros e se esbarravam, aos encontrões, para captar o melhor ângulo, com suas vistosas máquinas digitais de tirar retratos.
 
Bebida! Iriam comerciar com bebida alcoólica. O mandatário olhou para os dois e disse: Ainda bem. Pensei que era água, ou gás... Já escolheram o local? Sim, responderam. E o nome do bar?
 
“Bar Julador”, responderam Hipólito e Elesbão ao mesmo tempo.
“Bar Julador”! O mesmo nome? Como é que pode? 
 
Elesbão acusou Hipólito de invejoso. Hipólito rebateu dizendo que desde 2010, 2011 vinha pensando em abrir um bar com esse nome.

 Mentira! Deixe de ser mentiroso!, reagiu Elesbão.
 
Paw! Foi o som que se ouviu quando Hipólito acertou a cara de Elesbão com um murro considerável. Quando a mão bateu o mocotó entrançou! 

 Enquanto Elesbão e Hipólito saíram pela calçada da casa de Palito, aos murros e pernadas, Mario Neto tratou de se esconder. A turma do deixa-disso parece que atrasou de propósito. A briga só acabou com a chegada de Joca Boré, um cara que eles muito consideravam.
Hipólito estava com os beiços cortados e Elesbão portava acima do olho direito um catombo do tamanho de uma laranja...Palito agradeceu a Joca Boré por ele ter resolvido a situação, acalmando os ânimos dos brigões...

  Pra que isso? Por causa de um nome de um bar? Vocês deveriam entrar num acordo, reclamou Joca Boré, enquanto puxava Mario Neto pelo braço...
Resfolegante, Elesbão disse que ia fazer um BO! Você me agriguiu!, atingiu a minha honra, disse Hipólito. Um homem não chama outro de mentiroso...
 
 
Nada de delegacia, nada de polícia. Afinal, estamos entre amigos, disse Joca Boré. Palito cedeu a casa dele só pra nos atender, com tanto gosto, e vocês querem ir parar na polícia... Vamos conversar e vamos fazer um acordo. Mario Neto balançava com a cabeça, concordando com as palavras de Joca Boré.
 
Pra não ter mais confusão, eu prometo que mando botar uma placa luminosa na frente do bar de vocês, prometeu Joca Boré. Hipólito e Elesbão sorriram quando Joca Boré falou na placa luminosa. E assentiram que sim. Joca Boré apontou pra Mario Neto e disse: agora decida aí... Mario Neto, olhando pra Joca Boré, disse que o nome “Bar Julador” ficaria com Elesbão, tá certo, Hipólito?
 
Hipólito concordou, coçando o catombo na testa. E o nome do meu bar?, perguntou.
Palito, que entende de nome de bar, foi rápido. Deixe comigo. Como eu não tenho mais bar, vou lhe dar um nome, que eu vinha guardando: “Bar Bão”.
Hipólito repetiu umas três ou quatro vezes o nome “Bar Bão”, e se conformou. Tá bom, tá bom, eu fico com o “Bar Bão”, resmungou.
 
“Bar Julador” é nome francês, né Palito, perguntou Mario Neto...
 
A farra não tinha terminado ainda, e Joca Boré junto com um amigo que vez ou outra o acompanha nessas farras gargalhavam com os nomes escolhidos...
E quando toca de chegar algum turista na cidade, sedento, procurando um bar para uma cervejinha, na ponta da língua os moradores informam os dois bares mais conhecidos da cidade: o “Bá Juladô” e o “Bá Bão”...

Um vereador até tentou aprovar uma lei para impedir a repetição de nomes de estabelecimentos comerciais na cidade, mas os seus pares rejeitaram a proposta.
O guarda-chuva e o guarda-sol é outra história...

18 fevereiro 2014

QUE VENHA O CARNAVAL, MAIS A CIDADE E O POVO MERECE RESPEITO - ASSALTAR OS COFRES PÚBLICOS É QUE É O PROBLEMA

 
Segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

KERGINALDO PINTO TROCA PESCADORES E AGRICULTORES PELO CARNAVAL.

O prefeito de Macau Kerginaldo Pinto esqueceu os pescadores e os agricultores de Macau e deu prioridade ao carnaval de Macau. Para gastar milhões durante 5 dias de festas o prefeito manteu a cidade fora da lista do municípios dentro do estado de emergência e calamidade pública. Kerginaldo não se quer fez reunião ou uma audiência com os pescadores e agricultores que ficaram no prejuízo durante o ano de 2014, as percas vai de anistias de empréstimos a benefícios que serviriam para garantir os produtores e pescadores durante a estiagem. Tenho certeza que no período da campanha o o discurso do prefeito nos assentamentos e nas prais foi diferente. Kerginaldo deverá gastar mais de 2 milhões durante o carnaval com os mesmos mecanismos dos últimos carnavais
Prefeito visita assentamentos durante a campanha
 
                                                                                        
Prefeito visita na campanha ao distrito de Diogo Lopes

31 janeiro 2014

E HAJA INCOMPETÊNCIA!!!

Transparência Macau

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O PREÇO DE UM PREFEITO INCOMPETENTE

 
 
 
O prefeito Kerginaldo Pinto já tem noção do que já esta esperando por ele de problemas nessa sua gestão, não deverá ficar na sua lembrança a vaidade de ser um prefeito,mas também de enfrentar sérios problemas na esfera jurídica. Veja uma pequena amostra do que o prefeito irá ter que explicar no quesito de verbas federais:
 

 RELATÓRIO (15/01/2014)

DESVIO DE VERBAS FEDERAIS
PELA PREFEITURA DE MACAU

 
                            Exmo. Sr Superintendente Regional do Rio Grande do Norte de da Polícia Federal,
 
                            O presente relatório tem como escopo denunciar uma série de irregularidades praticadas pelo atual prefeito municipal de Macau, Sr. Kerginaldo Pinto do Nascimento, que denotam desvio de recursos e bens públicos federais.
                            Os casos são alarmantes, podendo serem corroborados por prova documental, testemunhal, publicações e diversos outros elementos de investigação, a critério de V. Exa., como meio de inibir e punir efetivamente o gestor pela malversação dos recursos públicos.
                            O rico município de Macau tem sofrido ao longo dos anos com políticos e gestores corruptos, deixando seu povo pobre, pois enquanto uns poucos usufruem das riquezas da terra do sal e petróleo, a população é penalizada com o descaso administrativo.
 
1)       PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA
a)       O Programa Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza extrema (até R$ 70,00 per capita) e de pobreza (R$ 70,01 a R$ 140,00 per capita). É um programa do Governo Federal com condicionalidade nas áreas de saúde e educação. Sua gestão é descentralizada e compartilhada entre a União, estados e municípios e o Distrito Federal[1].
b)       Assim, em que pese as prefeituras municipais terem pleno conhecimento e fazerem o acompanhamento do cadastro dos beneficiários do Programa Bolsa Família que, no caso da Prefeitura de Macau, é de competência da Secretaria de Trabalho e Assistência Social, ainda assim o gestor público municipal nomeia apadrinhados políticos em cargos comissionados, cuja renda é bem superior ao máximo estabelecido pelo Bolsa Família, e ainda mantém tais pessoas no referido programa.

c)       Trata-se de um conchavo político para beneficiar parentes de vereadores e lideranças políticas, nomeando-os como cargos comissionados e omitindo tal informação no cadastro do Bolsa Família, que é acompanhado no município pela própria Prefeitura.
d)       Dentre os inúmeros casos, destacamos alguns abaixo:

*(nomes preservados para investigações) 


2)       PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO – PAC2
a)       Os vídeos anexos demonstram a utilização de máquinas (retroescavadeira, patrol, caminhão basculante, etc) doados pelo PAC2 ao Município de Macau, porém são utilizados em benefício de empresas privadas que prestam serviços para a Prefeitura de Macau.
b)       As empresas são a TCL e a MAC, a primeira faz a limpeza urbana e a segunda é responsável pela maioria das obras públicas. Recebem milhares de reais mensalmente, mas para cumprir o contrato são beneficiadas com máquinas doadas pela União e pessoal da própria prefeitura.

3)       APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA (INSS)
a)       A Prefeitura de Macau não faz os recolhimentos previdenciários relativos aos servidores contratados, ensejando apropriação indébita previdenciária.
b)       Tal omissão está causando inúmeros transtornos para os servidores, inviabilizando a percepção e gozo de benefícios previdenciários diversos (auxílio-doença, auxílio-maternidade, aposentadoria, etc.

 
4)       IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA – IRPF
a)       A Prefeitura de Macau desconta o imposto de renda dos servidores (comissionados e contratados), porém não presta as informações na RAIS.
b)       Os servidores ficaram na malha fina do IRPF em decorrência de omissão e/ou discrepância de informações.
 
 
 
 
 
 
 
5)       PROGRAMA SOCIAIS:
a)       A Prefeitura Municipal de Macau demitiu os servidores contratados para trabalhar nos programas sociais (PSF, CREAS, CRAS, PET, NAM), apesar de continuar recebendo os subsídios do governo federal.
 
 
6)       PORTAL DA TRANSPARÊNCIA INEFICIENTE E MANIPULADO
a)       O Portal da Transparência de Macau entrou no ar em 27/05/2013, mas oscila constantemente, ficando algumas vezes inacessível.
b)       A empresa responsável pelo programa é a Top Down, mas a prefeitura contratou um terceiro para manipular os dados.
c)       Prova disso é que uma despesa no Restaurante Sal e Brasa em Natal foi paga pela Secretaria de Saúde. Quando os blogs de Macau deram tal notícia, então alteraram a rubrica como sendo despesa da Secretaria de Turismo.
d)       O Portal não publica o pagamento dos servidores efetivos, nem cargos comissionados – para evitar a configuração de nepotismo – omite as licitações, diários oficiais, contratos, etc.
e)       As informações não são feitas em tempo real, mas ao bel prazer do gestor. Perceba que nos meses de setembro e outubro foram divulgados pouquíssimos pagamentos, muito inferior aos milhões de reais que a Prefeitura gasta.

 
             Exmo. Sr. Superintendente, estes são alguns dos inúmeros casos de improbidade administrativa praticados pelo atual prefeito municipal, dentre dezenas de outros que são constatados diariamente, merecendo medidas urgentes, sob pena de dilapidação do erário público

15 janeiro 2014

EM MACAU NÃO EXISTE JUSTIÇA? OU ESSE CANALHA ESTAVA ERA NA CADEIA...!!!

Postado dia 13/01/2014 às 16h40

Condenado a prisão, Flávio Veras continua livre e com cargo na Prefeitura de Macau

Em 2013, o subprocurador-geral da República, já havia sido contrário ao pedido de habeas corpus movido por Veras

Flávio Veras foi nomeado para ocupar um cargo público no gabinete do atual gestor, com um salário de R$ 4,5 mil por mês. Foto: Divulgação
Flávio Veras foi nomeado para ocupar um cargo público no gabinete do atual gestor, com um salário de R$ 4,5 mil por mês. Foto: Divulgação
O processo conhecido como Mensalão conseguiu levar à prisão ex-ministros, deputados e dirigentes políticos nacionalmente populares. Porém, ainda falta muito para que a Justiça seja feita em vários casos de menor repercussão. E o ex-prefeito de Macau, Flávio Veras, do PMDB, é um exemplo disso. Condenado por crime eleitoral (compra de votos), ele não tem mais possibilidade de recurso para evitar o cumprimento da pena, mas mesmo assim ainda não foi preso. E mais: ainda ocupa um cargo público no gabinete do atual prefeito, Kerginaldo Pinto.
No ano passado, o subprocurador-geral da República, Maria José Gisi já havia sido contrário ao pedido de habeas corpus movido por ele na tentativa de se livrar da prisão. “De logo, frisa-se que a fixação de pena de três anos e dez meses de reclusão para o crime do artigo 299 do Código Eleitoral, que admite penas entre um a quatro anos, não se afigura arbitrária, sobretudo, porque em desfavor do paciente recai a agravante do artigo 62 do CP, e o fato ilícito foi repetido por doze vezes em continuidade delitiva”, escreveu o subprocurador.
“A instância ordinária considerou acentuada culpabilidade do paciente justificada por depoimento pessoais que afirmaram que a entrega da ‘ajuda’ teria que ser de forma rápida, o papel de direção do paciente na atividade criminosa eo nível de instrução e elevada condição social”, acrescentou Maria José Gisi, ressaltando que os relatos foram firmes em “atestar a conduta ilegal praticada sob o comando de Flávio Veras”.
Segundo o subprocurador, o agora ex-prefeito de Macau “fazia da pobreza alheia trampolim para lograr êxito em pretensões políticas”, “eis que trata-se literalmente de corrupção eleitoral, primeiro passo para as subsequente irregularidades e abusos no uso da máquina administrativa”.
Dessa forma, até a prisão domiciliar foi vetada: “Melhor sorte não ocorre com o pleito de prisão domiciliar decorrente da ausência de casa de albergado, visto que a impretação não logrou demonstrar, por certidão, que no Estado não possui estabelecimento adqu4eado ao cumprimento da pena no regime imposto”.

EMPREGO

Mesmo condenado à prisão e investigado pelo Ministério Público do RN por envolvimento na Operação Máscara Negra, por envolvimento em esquema de desvio de recursos públicos por meio da contratação de bandas para festas em Macau, Flávio Veras continua com prestígio com o atual prefeito. Afinal, ele foi nomeado para ocupar um cargo público no gabinete do atual gestor, com um salário de R$ 4,5 mil por mês.